Tecnologia&

Transparência e participação popular

Civictechs e Govtechs

transparência na esfera pública e o fácil acesso às novas tecnologias estão evidenciando
duas situações na sociedade: o envolvimento da população na gestão pública e, dentro dos governos, a busca pela eficiência. O cidadão quer informação certa, rápida,
sem custo, quer se conectar com outros e se envolver com seu governo para solicitar serviços, reclamar direitos e entender deveres. Os governos, por sua vez, querem ter o aumento na eficiência de suas operações internas para diminuir gastos, sem perder de vista a chance do fortalecimento da imagem política. Nos dois casos, o bem público é o grande benefício para todos.

Esse comportamento tem chamado a atenção de quem está atento às mudanças sociais e às novas tecnologias também na esfera dos negócios. Jovens empresas estão levando em conta esses fatores de impacto social e seguem uma tendência mundial para aproveitar um
vasto mercado na área de tecnologia para governos. São as chamadas empresas “civictechs” e “govtechs”. Ambas estão ligadas à transformação digital na área pública, porém as “civictechs” têm foco no cidadão e no engajamento, enquanto nas “govtechs”
o cliente é o governo e o foco está no funcionamento interno da instituição que precisa ser mais eficiente.

Com inovações e uso de tecnologias como Big Data, Chatbots, Inteligência Artificial, Internet das Coisas, Realidade Aumentada entre outras, essas empresas focam em soluções de transparência e a intenção é transformar a tecnologia em ferramenta de
apoio ao poder público para tomada de decisões e resolução de problemas da gestão.

Tendência de negócios

Você talvez já tenha experimentado entrar contato com a prefeitura da sua cidade para solicitar algum serviço. Antigamente, o pedido precisava ser feito pessoalmente, mas as suas memórias mais recentes talvez sejam aquelas de ligar na prefeitura e fazer um pedido, mas também ouvir do atendente do outro lado da linha que era preciso ligar em outro número, que talvez ainda não seria o número certo, nem a pessoa certa, até quem sabe encontrar o responsável para atendê-lo. Depois das interrogações e desse vai e vem, é provável que você tenha desistido. Para facilitar essa comunicação e interação com as prefeituras dentro do conceito “govtech” a JAA Soluções, empresa instalada em São José dos Campos, criou um sistema e um aplicativo para uma central de relacionamento que conecta o cidadão ao governo, levando a demanda para o responsável direto de cada caso com segurança (rastreabilidade), rapidez e garantia de resposta.

A solução compreende um sistema de gestão de demandas (utilizado pela prefeitura que contrata o serviço), um hotsite e um aplicativo para dispositivos móveis iOS e Android com foco no cidadão.

O diretor de tecnologia da JAA Soluções, André Mussi, esclarece que todos os serviços são web e foram desenvolvidos com tecnologia Microsoft. Segundo ele, para que essas soluções
se comuniquem, existem aspectos de segurança da informação e integração entre sistemas robustos que fazem dessa solução complexa e desafiadora do ponto de vista técnico. “Utilizamos conceitos de UX (User Experience) para traduzir o linguajar institucional de
uma prefeitura em uma leitura mais coloquial e de fácil entendimento para o cidadão. Aplicação dos conceitos de BI (Business Intelligence) BAM (Business  ActivityMonitoring) e CRM também são largamente utilizados”, explica.

Na prática, para o cidadão, a solução funciona de forma simples. Basta identificar um problema ou desejar alguma informação e utilizar um dos canais digitais para encaminhamentos e tratativas. Para a prefeitura que incorpora uma solução como esta, a implantação envolve um amplo mapeamento de todos os serviços realizados. É preciso ter claro quais são as entradas de pedidos, os prazos, quem é o responsável, como é
solicitado o serviço no dia a dia, entre outros itens. Esse enorme volume de dados é avaliado, padronizado e incluído no sistema.

“Para a equipe de gestão
estratégica do governo
o ganho maior está em
entender os rumos da
cidade como organismo,
captar o sentimento
quanto aos serviços
prestados pela prefeitura
para poder melhorar o
que for possível, saber
quais são as principais
necessidades do cidadão
para só então agir
pautado em dados e
informações concretas.”

André Mussi,
Diretor de tecnologia da JAA Soluções

Ao final desse processo é possível dizer que todas as solicitações que chegarem para serem executadas terão um padrão e uma forma. E, entre os muitos outros ganhos, o de dar ao gestor público a capacidade de planejar sua execução, recebendo a demanda de forma
ordenada, com filtros e indicadores é um enorme diferencial. “Para a equipe de gestão estratégica do governo o ganho maior está em entender os rumos da cidade como organismo, captar o sentimento quanto aos serviços prestados pela prefeitura
para poder melhorar o que for possível, saber quais são as principais necessidades
do cidadão para só então agir pautado em dados e informações concretas”, reforça Mussi.
Além desta solução de interação direta com o público, a empresa também desenvolve soluções “govtech”, que são focadas em melhorar a performance dos governos. Um exemplo é DocTree, sistema específico para gestão de processos e documentos, além
da empresa trabalhar na incorporação de registro Blockchain.

Gestão pública aprimorada

De acordo com a pesquisa Estratégia Brasileira para a Transformação Digital, publicada pelo MCTIC em 2018, o custo do atendimento online costuma ser substancialmente menor em comparação com o atendimento presencial, representando uma significativa economia ao poder público. A pesquisa aponta que o custo do atendimento online pode chegar a 2,73% do custo do atendimento presencial e que o atendimento presencial tem um custo médio de R$ 43,68, enquanto o atendimento online pode chegar a R$ 1,20. Ou seja,
uma economia de mais de 97% em recursos públicos por transação.

Segundo essa estimativa, a contínua digitalização do atendimento ao cidadão pode representar uma economia para o governo brasileiro da ordem de R$ 663 milhões ao ano, e de R$ 5,6 bilhões ao ano para a sociedade como um todo, atingindo uma economia total de R$ 6,3 bilhões ao ano. Recentemente, a prefeitura de Caraguatatuba inaugurou o serviço de atendimento por aplicativo, portal e telefone usando essa tecnologia que permite o contato direto entre a população e os mais de 350 serviços da cidade.

O prefeito, Aguilar Junior, destaca a importância do uso da tecnologia para ajudar o cidadão, além de sua preocupação em planejar bem as ações, focando no retorno do investimento com a economia de recursos futuros para gestão pública. “Oferecemos muitos serviços na prefeitura, nossa cidade tem mais de 120 mil moradores e na temporada recebe milhares de veranistas e turistas. Precisamos de agilidade e qualidade nas informações para atender bem a todos. A quantidade de opções de serviços e secretarias responsáveis podem confundir o cidadão, então nosso objetivo é melhorar o atendimento com cada pessoa e também garantir eficiência nos trabalhos internos. Com digitalização dos serviços não se economiza só o tempo do cidadão e recursos públicos,
mas torna possível resolver problemas sem sair de casa”, explica o prefeito.

“Oferecemos muitos
serviços na prefeitura,
nossa cidade tem mais de
120 mil moradores e na
temporada recebe milhares
de veranistas e turistas.
Precisamos de agilidade e
qualidade nas informações
para atender bem a todos.”

Aguilar Junior,
Prefeito de Caraguatatuba

Cidadão participativo

No Brasil, segundo dados do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação de 2016, há 107 milhões de usuários de Internet, dos quais 61%
procuraram informações de governo ou realizaram serviços públicos online. As principais áreas de serviços públicos procuradas foram trabalho e previdência (28%), seguidas por
educação (26%), impostos e taxas (24%), documentos pessoais (21%), saúde (16%), polícia e segurança (10%) e transporte (10%). Tais dados demonstram que a procura por serviços digitais do governo é bastante significativa.

 

As plataformas “civictechs” e “govtechs” podem descortinar oportunidades para a comunicação estratégica dos governos. Será possível ter uma vasta quantidade de informações, fazer com que o cidadão seja ouvido de fato e se sinta parte da administração
trazendo demandas de fora do círculo gestor e, ainda promover a melhora das contas públicas com redução de gastos. A comunicação aliada ao uso de novas tecnologias pode revirar os futuros cenários políticos e da administração pública.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here