Saúde& – Próteses de mama

Quando é necessário fazer a troca?

A cirurgia para implante de silicone nos seios é uma das mais realizadas no Brasil atualmente. É indicada para mulheres que desejam aumentar o volume das mamas, recuperar a firmeza e o volume e para pessoas submetidas à mastectomia para extração de tumores.
De acordo com os últimos dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica cerca de 18,8% das intervenções cirúrgicas foram para colocar seios, seguidas da lipoaspiração (16,1%) e abdominoplastia (15,9%).
Uma dúvida comum entre as pessoas que optam por colocar implantes de silicone nos seios é sobre as trocas das próteses.

A evolução dos materiais que compõem as próteses de silicone permitiu que o tempo de vida útil do produto dentro do corpo humano também aumentasse. Com isso, a troca é cada vez mais rara, embora seja indicada em situações específicas.
O cirurgião plástico, Dr. João Carlos de Moura Menezes, especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, alerta sobre as situações que exigem a substituição da prótese de silicone.

“Antigamente fazíamos a troca a cada dez anos, mas atualmente só realizamos a substituição em caso de necessidade”

João Carlos de Moura Menezes,
cirurgião plástico | CRM 45.977

“Antigamente fazíamos a troca a cada dez anos, mas atualmente só realizamos a substituição em caso de necessidade. Alguns cirurgiões dizem que as próteses desenvolvidas atualmente duram a vida toda, mas na verdade, ainda temos um percentual que varia de 10% a 15% de troca”, conta.
Segundo o especialista, embora sejam casos raros existem alguns sinais de complicações tardias que podem acometer a prótese de silicone. Uma das complicações é a contratura capsular.
“A contratura é o endurecimento da cápsula que se forma ao redor da prótese. Toda prótese inserida no corpo ocasiona uma reação do organismo, que forma essa cápsula. Seria como uma película ao redor do implante. Essa película, caso sofra um processo de enrijecimento, pode levar a deformidades visuais ou palpáveis. Existem quatro níveis de contratura, as de nível três e quatro além de deformar a mama, podem causar dor para a paciente”, explica.

Outra complicação que pode tornar necessária a substituição do silicone é a ruptura da prótese. Com os materiais existentes no mercado atualmente, a ruptura é ainda mais rara que a contratura, atingindo menos de 1% das próteses, ao longo de 10 anos.
“A ruptura é causada por microfissuras na camada externa do silicone e pode provocar algum grau de inflamação dos tecidos ao redor”, comenta.

Para evitar as complicações com o implante, o cirurgião plástico, Marco Antonio Rocha, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, enfatiza a importância dos cuidados no pré e pós-operatórios.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“A paciente no pré-operatório, como em qualquer cirurgia de qualquer especialidade médica, tem que estar em plenas condições de saúde, hidratar bastante a mama antes do procedimento com hidratantes corporais ou óleo de amêndoas, por exemplo”

Marco Antonio Rocha,
médico cirurgião-plástico | CRM 130.392

“A paciente no pré-operatório, como em qualquer cirurgia de qualquer especialidade médica, tem que estar em plenas condições de saúde, hidratar bastante a mama antes do procedimento com hidratantes corporais ou óleo de amêndoas, por exemplo. Realizar todos os exames pré-operatórios que seu médico solicitar e conversar com seu cirurgião plástico sobre o procedimento esclarecendo todas as dúvidas existentes. Após o procedimento, o repouso é fundamental, de acordo com a rotina de cada médico cirurgião. Não carregar pesos excessivos e não praticar atividades físicas por determinado período contribuem para uma melhor recuperação. A hidratação das mamas também é indicada no pós-operatório. Em alguns casos também a drenagem linfática pode trazer uma melhora na recuperação da paciente” explica.

 

 

 

 

 

 

 

 

“Outro cuidado que tive foi com a escolha médica. Pesquisei muito antes, e passei por 3 médicos até escolher a minha. Ela me orientou antes e depois da cirurgia”

Carol Zuza,
maquiadora e influenciadora digital

A maquiadora e influenciadora digital, Carol Zuza, de 26 anos fez a cirurgia para implante de silicone nos seios há três anos.
“Foi depois de ter amamentado a minha filha por 2 anos. Os seios modificaram muito, e senti a necessidade de colocar. Fiquei super feliz com o resultado. Ficou do jeito que eu queria, proporcional ao meu corpo. Para diminuir as chances de complicação, escolhi a melhor prótese do mercado. A minha tem certificado de garantia vitalícia. Em caso de uma ruptura ou contratura, por exemplo, a empresa substitui a prótese. Outro cuidado que tive foi com a escolha médica. Pesquisei muito antes, e passei por 3 médicos até escolher a minha. Ela me orientou antes e depois da cirurgia” contou.

Para o Dr. João Menezes a colocação de prótese de silicone trata-se de uma cirurgia tão séria quanto as demais operações médicas e requer cuidados.
“As pessoas confundem cirurgia plástica com uma cirurgia boba, mas na verdade ela está no ramo da cirurgia geral. É necessário ter os mesmo cuidados que toda cirurgia requer, mas com a vantagem de que é possível fazer todos os exames pré-operatórios com calma, visto que não há urgência. Uma coisa que observo nas pacientes de cirurgia plástica é que depois do procedimento elas voltam pouco ao consultório. Para evitar complicações oriento as minhas pacientes a fazerem o acompanhamento das mamas com o ginecologista, nos exames clínicos e físicos no consultório, pois se achar necessário, o médico as encaminhará para exames de imagem, como mamografia e ecografia das mamas, além de ressonância magnética em casos mais específicos. Seguindo todos esses cuidados conseguimos evitar complicações. Atualmente o nível de satisfação das minhas pacientes é de 99%, que significa 99% de mulheres satisfeitas e felizes”, finaliza.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here