Esporte

Futebol Americano ganha terreno na RMVale

Nós brasileiros quando pensamos nesse esporte, o Futebol Americano, logo nos vem à cabeça imagens de jogadores com uniformes que parecem armaduras de guerra e que jogam parecendo estar brigando entre si. Mas o que a maioria das pessoas não sabe é que sempre existiu uma outra modalidade de Futebol Americano chamada Flag Football, a modalidade consiste em deixar o esporte mais barato economicamente pois não necessita o uso de capacetes e roupas tradicionais usadas na modalidade equipada e também por evitar lesões muito comuns que ocorrem em jogadores da modalidade equipada. O objetivo do jogo nas duas modalidades é ganhar terreno no campo do adversário através de jogadas até atingir o final do campo realizando o Touchdown.

No Futebol Americano tradicional equipado quando o Quarterback, líder do time que fica atrás da linha central, no meio da linha ofensiva, sua função é iniciar as jogadas, dar o passe para os wide receivers e tight ends- lança o passe, quem recebe deve ser derrubado pelo adversário e na modalidade Flag Footbal não. No Flag o Quarterback lança a bola fazendo o passe, quem recebe estará usando um cinto com duas fitas presas a um velcro, o adversário impede o avanço do jogador com a bola puxando umas das fitas presas a cintura dele. Esse modo de impedir a jogada, puxando a Flag que dá nome a modalidade, incentiva muita gente a praticar o esporte, já que não machuca e não precisa comprar os equipamentos necessários.

A RMVale já conta com os times como: Guardians de Cruzeiro, Usp Lorena, Donkeys de Taubaté, Jets e Gators de São José dos Campos e os White Cranes de Guaratinguetá. Os Cranes, como são chamados, traduzindo para português significa Garças Brancas, foi fundado em 2009 e são reconhecidos na cidade de Guará como time de guerreiros, eles são chamados para desfilar no desfile de 7 de setembro e se auto intitulam Família Cranes. Além do coração dos moradores da cidade de Guaratinguetá as Garças Brancas já conquistaram alguns patrocinadores que ajudam a manter o time, todos os sábados à tarde eles se reúnem no campo da FEG – Unesp para treinar Flag, ambos masculino e feminino estão participando da Liga Paulista de Flag Football, e até o fechamento dessa edição a equipe masculina dos Cranes de Guará ocupavam a terceira colocação e os Jets de São José dos Campos a décima quarta colocação.

A equipe feminina no segundo lugar, os Gators na sétima, os Jets de São José na nona posição. Para manter os custos das viagens para realizar os jogos, a Família Cranes faz rifas inusitadas como: compre a rifa por um real e ganhe um churrasco completo. Isso mesmo, o vencedor da rifa ganha um kit com carvão, carnes e todos os apetrechos para fazer aquele churrasco gostoso em família, conta Ticiana Santos, Quarteback do time feminino dos Cranes. O Brasil e o mundo ganham a cada dia muitos adeptos do Flag football levando o esporte a entrar para os Jogos Olímpicos de Los Angeles, diz Tiago da Silva, presidente do time do Cranes e presidente da Associação Pró-Futebol Americano, a A.P.F.A. Já os Gators de São José dos Campos estão focados em treinar o time feminino para o campeonato SPFL do próximo ano, diz Marcos Henrique Ferrete Junior, vice-presidente dos Gators de São José dos Campos.

“Para manter os custos das viagens para
realizar os jogos, a Família Cranes faz rifas
inusitadas como: compre a rifa por um real
e ganhe um churrasco completo.
Isso mesmo, o vencedor da rifa ganha um
kit com carvão, carnes
e todos os apetrechos para fazer aquele
churrasco gostoso em família”
Ticiana Santos – Quarteback

O Flag Football no Brasil

A popularização do Flag Football começou na 2° guerra mundial, pois soldados podiam jogar sem se machucar, e foi trazido para o Brasil nessa época por soldados americanos quando estavam instalados nas bases do Rio Grande do Norte. O esporte é praticado com dinamismo em relação ao peso de seus atletas que podem variar entre 70 á 150 quilos. Os times de Flag Football no Brasil são compostos de atletas que vivem de seus próprios empregos, somente alguns vivem do Flag Football, então foram criados diferentes campeonatos espalhados pelo país permitindo jogadores e torcedores aproveitar melhor o esporte.

No estado de São Paulo existe o campeonato paulista de Flag Football que se divide nas categorias Metropolis Bowl com times de São Paulo capital e região e o Caipira Bowl com times formados por cidades do interior de São Paulo, tudo isso para facilitar a integração do esporte. Os times que vão ganhando suas colocações nos campeonatos estaduais vão disputar as regionais no Circuito Nacional de Flag Football até irem peneirando a chegar no time campeão brasileiro de Flag Football. Para conhecer melhor o esporte e ir a fundo nas regras existe o site: http://opaulistadeflag.com.br, nele o internauta pode conferir como estão ás rodadas dos times da região e todas as noticias relacionadas ao Flag.

Como jogar Flag Football
São oito jogadores de cada lado e três times, um de ataque, um de defesa e um de especialista. O jogador de ataque não joga na defesa e vice-versa, isso é feito para que o atleta se especialize na sua função no time. É um campo de 80 metros por 35 e quem fizer mais pontuação e touchdowns ganha à partida. O touchdown é feito quando o jogador atravessa com a bola as últimas linhas ou recebe de passe dentro dessa endzone. Essa jogada vale seis pontos e após a conclusão dela o time tem o direito de fazer uma conversão que pode ser escolhida entre o chute para o gol valendo um ponto ou outra jogada para tentar outro touchdown, porém dessa vez valendo apenas dois pontos. O objetivo do Futebol Americano é você ganhar jardas no campo do adversário em 40 minutos de jogo, cada time tem 4 tentativas para atravessar dez jardas e fazer o touchdown.

Como ser um Crane
O time White Cranes promove seletivas sazonais, pessoas interessadas em participar do time são avaliadas e testadas. Foi assim com Carlos Pereira, ofensive lineman, de 33 anos,
morador de Guaratinguetá, ele decidiu entrar para o time para fugir de uma situação de pré-diabetes, ele se dedicou e amou o esporte “o esporte me emagreceu muito e ajudou meu metabolismo a acelerar, hoje não vivo sem ele”, diz Pereira com um sorriso no rosto. A experiência em aprender o esporte fora do país foi fundamental para Ricardo Moraes “conhecer o esporte fora e trazer o que aprendi na Europa para cá está sendo muito importante para o desenvolvimento de todo o time”, conta Moraes, que joga como wide receiver do time de Guará. Os Cranes já ganharam dois campeonatos importantes, ou Bowls, e querem mais e mais, Go Cranes!

Para ver o vídeo exclusivo do treino dos Cranes acesse o Youtube do Portal Meon, confira fotos exclusivas em nossas redes sociais

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here