Especial& – Empresários e profissionais reinventam os negócios para escapar da crise

Os reflexos econômicos com a crise gerada pela pandemia tem sido uma constante preocupação para empresários, políticos e a população em geral. Como manter o equilíbrio da quarentena para preservar a saúde, e ao mesmo tempo evitar uma recessão econômica que pode gerar consequências graves como o desemprego, a fome, o fechamento de empresas, desabastecimento e falta de recursos finaceiros para manter a estabilidade do país?

Empresários e profissionais de São José dos Campos e região, compartilharam com a gente as experiências de reinventar os negócios e utilizar a criatividade para manter as empresas funcionando. São relatos de diversos segmentos, que mostram principalmente como a força da comunicação e da tecnologia tem feito a diferença para manter as vendas e os clientes. Um verdadeiro teste de resiliência. Uma oportunidade de encontrar também novos nichos a serem explorados no mercado, confira alguns depoimentos.

 

“O nosso movimento não caiu, pelo ao contrário, aumentou. Porque os donos ficando em casa tão vendo a necessidade do pet tomar banho, ninguém quer em casa o pet com cheirinho forte. Também estão vindo muitas pessoas atrás das máscaras que estamos produzindo, porque antes a gente fazia as roupinhas para os cachorros, agora estamos fazendo as máscaras para os donos, que já aproveitam os outros serviços”, conta   Jacqueline Alves, dona da JK Pet Shop.

 

 

“Nós adotamos todas as redes sociais, nós fazemos “lives” no Instagram, criamos um grupo no Telegram onde nós passamos comunicado, notícias e informações, criamos enquetes e postamos muita informação no Facebook. Nós percebemos que nenhum dos nossos alunos trancou a faculdade, muito pelo contrário, hoje nós temos até novas matrículas de pessoas que entenderam que a educação à distância é um novo futuro”, disse  Janet Navarro, diretora da Faculdade Fael.

 

“Como advogado e empresário eu tenho buscado algumas alternativas, a principal que eu sempre gostei de fazer e agora é o único meio, são as reuniões virtuais. Hoje tem diversos aplicativos e sistemas que fazem esse tipo de situação. O principal é você entender o cenário, é buscar alternativas tanto com relação à instituições financeiras quanto aplicação das regras e medidas”, falou  Renan Barini, advogado na Capeletti e Barini Advogados.

 

 

“Trouxemos toda a parte de atendimento para o digital, a gente tem a facilidade de poder estar próximo do cliente, continuamos trazendo informações por meio de eventos e lives no Instagram e Youtube com especialistas no mercado financeiro, trazendo as novidades de acontecimentos do mercado nacional e internacional para que o cliente nunca fique sem informação neste momento tão sensível.” disse  Breno Andrade, assessor private de investimentos da WFlow Investimentos.

 

“Na agência, a gente adotou o trabalho home office e toda equipe está em isolamento para garantir a saúde. Nós criamos um pacote de serviços, exclusivo para microempreendedores para esse período de quarentena. Para que eles pudessem ter acesso à uma agência de comunicação, que muitos não têm. É a nossa forma de contribuir com ideias, como soluções, com peças de divulgação, essa é a nossa forma de ajudar”, relatou  Michelle Laboissiere, diretora-executiva da Pilares Relações Públicas.

 

“O setor de academia foi um dos primeiros que foram fechados pelo poder público, faturamento zero. Muitas contas para pagar e tivemos que implantar um regime severo de fluxo de caixa para poder sobreviver nesse período. Uma coisa muito bacana que apareceu e que a gente desenvolveu, foram as videoaulas para colocar à disposição dos nossos clientes, através dos nossos canais no Youtube, Instagram e Facebbok. Acabou que estamos disponibilizando isso para o mercado todo e está um grande sucesso, isso é positivo como marca também.”, conta  Alberto Mano Marques, dono da academia Cia Athletica.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here