Economia& – Saiba como investir

Dicas para você preservar o seu dinheiro e ainda investir de forma segura seu patrimônio.

O início de um novo ano nem sempre é fácil para muita gente que precisa ficar em dia com as contas que batem às portas do brasileiro. São diversas pendências financeiras,
como IPVA, IPTU, férias, materiais escolares e parcelas de presentes do fim de ano. Apesar da difi culdade para manter o caixa no azul, iniciar um novo ciclo é sempre oportuno para planejar, controlar os gastos e investir mais.

Dados apurados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) apontam que 61 milhões de brasileiros devem ter começado 2020 com alguma conta em atraso. No entanto, a principal meta do brasileiro para este ano é guardar dinheiro, revela ainda a pesquisa. Atualmente, existe diversas opções para fazer o dinheiro render mais e isso independe ser pessoa física ou jurídica, ter muito ou pouco ‘money’ no bolso. Para sair do endividamento e começar a investir, para obter resultados em médio e longo prazo, a pessoa precisa ter em mente um conceito: a construção de riqueza
por meio da economia e investimento. Segundo o economista Alexandre Wander, coordenador do curso de pós-graduação em Controladoria Financeira da FAAP (Fundação Armando Alvares Penteado), em São José dos Campos, o brasileiro tem o costume de comprar e não se planejar.
“O que percebemos é que as pessoas, normalmente, gastam mais do que ganham. É muito comum você encontrar alguém que comprou um carro financiado, mas que não se planejou para isso. Para quem deseja enriquecer mais, o financiamento não é uma opção porque, assim, dificilmente a pessoa vai conseguir sair do patamar em que ela está. É importante estabelecer metas gradativas”, explicou.

Rentabilidade
Com a atividade econômica ainda em marcha lenta, os brasileiros têm buscado outras formas de fazer o dinheiro render mais — além da tradicional poupança. Por falta de conhecimento sobre educação financeira ou até mesmo comodismo, hoje pessoas têm buscado investir o dinheiro em ações e outras aplicações que geram muito mais resultado em médio e longo prazo.

Em São José dos Campos, a Positive Capital, empresa focada em consultoria financeira, oferece segurança para o pequeno e médio investidor. Com a partir de R$ 10 mil, a pessoa tem a garantia de que o seu dinheiro será administrado com rentabilidade e, ainda, que poderá render até 3% ao mês por um contrato de 12 meses, o que varia com a qualificação de cada investidor. A empresa faz um acordo jurídico-financeiro com o cliente onde a pessoa repassa recursos e a empresa faz essa gestão de recursos com rentabilidade pré-estabelecida.

“Hoje é muito difícil ganhar dinheiro, então, ninguém quer perder ou colocar ele em risco”

Patrick Nakamura,
presidente da Positive Capital

“A Positive Capital trabalha no mercado financeiro por meio de uma holding com 10 empresas, onde é feita essa captação, gestão e aplicação dos recursos no mercado. Nós temos uma regra que 80% dos nossos recursos captados são operados na maior plataforma financeira do mundo em operações estruturadas de alta rentabilidade, onde os bancos operam o dinheiro e não tem histórico de perda”, informa Patrick Nakamura, presidente da Positive Capital.

Dessa forma e devido ao volume de recursos a empresa consegue firmar contratos
de renda fixa, com segurança e que passa dos dois dígitos de rentabilidade
mensal. “Hoje é muito difícil ganhar dinheiro, então, ninguém quer perder ou
colocar ele em risco. Nossas operações são alocadas em aplicações que garantem
essa segurança aos nossos investimentos”, ressaltou Nakamura.
A partir de março, a Positive Capital deverá ser ampliada a open bank (banco
digital), com diversos benefícios e vantagens aos correntistas como: descontos em
grandes lojas já conhecidas, rede credenciada de médicos e odontologia, aluguel de
carros, investimentos em outras corretoras e até compra de ações da própria empresa.

Aos que possuem perfil arrojado, conhecimento em mercado variável e de risco, existem também as corretoras de investimentos, onde é oferecida a possibilidade de realizar compra de ações, investimentos na bolsa de valores, ou ainda, aplicações em fundos imobiliários, dentre outros produtos. As corretoras oferecem alguns indicadores
de tendências ao investidor, pois contam com profissionais especializados
no mercado financeiro. Os chamados assessores de investimentos conseguem identificar
através do perfil do investidor qual a melhor indicação para aplicar o seu dinheiro
de acordo com a sua necessidade. Por falta de informação ou por receio
de perder dinheiro, muitas pessoas acabam deixando grande parte de suas rendas
nos bancos tradicionais, que oferecem pouca rentabilidade. Estima-se que
92% do dinheiro do país estejam nessas instituições financeiras.

Para o assessor de investimentos Evandro Zanutto, da Plátano Investimentos-XP Investimentos, de São José Dos Campos, a tendência é que as pessoas saiam do banco e procurem corretoras de investimentos.

“Nós estamos caminhando para um cenário que já é realidade em grande parte do mundo, que é investir e assumir algum nível de risco”

Evandro Zanutto,
Plátano Investimentos-XP Investimentos

“Os bancos não têm mostrado que oferecem melhores investimentos, ao contrário
das corretoras que são mais competitivas e agressivas em oferecer mais rentabilidade para s pessoas. Em 2018, por exemplo, na época da eleição presidencial, entrar na bolsa de valores era muito arriscado, mas quem aceitou esse risco teve rentabilidade de 80% a 100% e hoje está ‘rindo a toa’. Nós estamos caminhando para um cenário que já é realidade em grande parte do mundo, que é investir e assumir algum nível de risco”, disse.

Um exemplo de investimento é o engenheiro mecânico aposentado Mario AntônioVendrame, de 66 anos. Vendrame poupou a vida inteira, pelo menos desde os 24 anos, quando ganhou o primeiro salário. Gastar mais do que o necessário e mais do que a renda fixa dele nunca foi uma opção. “É uma preocupação que eu tinha de quando eu hegasse no futuro eu tivesse uma segurança. É importante termos uma renda para termos uma previdência, um suporte para não depender dos outros, isso é fundamental. É muito comum você ver a pessoa gastando tudo o que tem e até além. A pessoa precisa aprender a não gastar toda a sua renda para ter um suporte e se possível gastar menos do que
recebe, relatou.

“É importante termos uma renda para termos uma previdência, um suporte para não depender dos outros, isso é fundamental”

Mario Antônio Vendrame,
engenheiro mecânico

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here